22 de nov de 2009

Mudei para o wordpress

Mudei meu blog, por fim, para o Wordpress.

http://messagiwordpres.com

8 comentários:

  1. Anônimo14:15

    ESTOU EM DÚVIDA SE VOCÊ É A PESSOA QUE CONHECI ANOS ATRÁS.
    POR ACASO VOCÊ TRABALHOU NUM BANCO NA GALERIA RITZ?

    ResponderExcluir
  2. Anônimo02:33

    OLÁ MÁRIO, TUDO BEM?
    SOU A ELIZELE PAULA CAXAMBÚ, ESTUDANTE DE DIREITO, FALAMOS SOBRE POLÍTICA E DENTRE OUTROS ASSUNTOS INTERESSANTES...QUAIS AS ESPECTATIVAS PARA O SEGUNDO TURNO?
    ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  3. Anônimo16:29

    é´Mário, neste blog vc não é tão insensível como se mostra pessoalmente...quer experimentar a sujeira do sexo...? Vai ser como tu falas pra melhor! Beijos na tua boca!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo16:48

    miras uma foto , tiras os olhos mesmo sabendo que aquela já é nuvem...nuvem que toma vários formatos e te enganas...
    Se poeta tu és não sei.
    Dizes que fazes ser quem tu queres, mas na verdade sabes quem tu és?
    Eis que na profundidade da noite entre a lua e a escuridão se mostram as estrelas...fitarás uma a uma e mesmo assim não saberás quem és tu.
    Quem se indaga a si muito se projeta...já vistes as gaivotas no mar...miras, fitas, não são nuvens e nem estrelas que podem mudar de forma e te enganar, ou aparecerem ou não por não saberes como será a noite escura de amanhã...mas as gaivotas sempre , dia e noite serão constantes e saberás mirando-as quem és tu...

    ResponderExcluir
  5. Anônimo17:03

    Traçada a meta, eis que me vejo mui próxima ao destino...ao ver ao longe montanhas que aos poucos se aproximam e quase me abraçam como num aconchego estarrecedor.
    O antagonismo da paisagem me leva a prosseguir , eis que acho a escuridão das ondas a bramar.
    Quem me chama? Aonde estás?
    Eis que me pegas pela mão e me levas além das ondas e das montanhas...
    Me fizeste subir as alturas dos sentimentos mais sublimes, intensos, ofegantes, respirações e corações acelerados em sintonia perfeita com o deslumbranate e fúnebre lugar...
    Eis que nossas mãos se largaram e num instante me vi só, voltando a não desejada que me esperava, não vendo a hora de voltar e entrelaçar tua mão na minha.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo19:19

    A cobiça, o desejo das duas: a que te despreza e a que faz do teu leito luxúrias reviradas em contorções de corpos ao delírio, sussurros , extases insaciaveis, um prazer em convulsão ao outro repetidamente seguidos...infindáveis. Mulher, quem és tu que fazes deste homem teu escravo e prisioneiro? Entre teus seios se alimenta e no aconhego do prazer quase se sente um insestuoso Freiudiano...aH! se não fossem tuas pernas como garras a conduzi-lo ao néctar do sabor do mais profundo centro de ti, estaria ele perdido e seria teu filho/amante...
    Sabes que te deseja, e tua plena liberdade de seres quem és, sem cobrares dele que seja só teu infinitamente, o conduz a ser prisioneiro da própria mente, pois seu desejo arde ao ver-te e ao longo da noite que já não dorme, vê tuas formas por entre as roupas que te cobrem voluptuosamente. Eis que ele se vai..."anjo, voltarás"? Respondes a ti mesmo: assim como não te tenho, tu jamais me terás, mas serei teu anjo se assim quiseres, mesmo sabendo que és completa porque te faço sentir a mais libertina das mulheres em meus braços...
    Conforto-me com a que me despreza, pois sou conduzido do paraiso ao inferno pela dantesca criatura que faz iludir-me estar perto de ti.
    18:51

    ResponderExcluir
  7. Anônimo19:19

    A cobiça, o desejo das duas: a que te despreza e a que faz do teu leito luxúrias reviradas em contorções de corpos ao delírio, sussurros , extases insaciaveis, um prazer em convulsão ao outro repetidamente seguidos...infindáveis. Mulher, quem és tu que fazes deste homem teu escravo e prisioneiro? Entre teus seios se alimenta e no aconhego do prazer quase se sente um insestuoso Freiudiano...aH! se não fossem tuas pernas como garras a conduzi-lo ao néctar do sabor do mais profundo centro de ti, estaria ele perdido e seria teu filho/amante...
    Sabes que te deseja, e tua plena liberdade de seres quem és, sem cobrares dele que seja só teu infinitamente, o conduz a ser prisioneiro da própria mente, pois seu desejo arde ao ver-te e ao longo da noite que já não dorme, vê tuas formas por entre as roupas que te cobrem voluptuosamente. Eis que ele se vai..."anjo, voltarás"? Respondes a ti mesmo: assim como não te tenho, tu jamais me terás, mas serei teu anjo se assim quiseres, mesmo sabendo que és completa porque te faço sentir a mais libertina das mulheres em meus braços...
    Conforto-me com a que me despreza, pois sou conduzido do paraiso ao inferno pela dantesca criatura que faz iludir-me estar perto de ti.
    18:51

    ResponderExcluir
  8. Anônimo21:03

    Caríssimo Mário, és um homem maravilhosamente antagonico , interessante,intrigante, instigante. Vejo em tua foto que estas mais "velho", porém não menos apaixonante! Belíssimo tu és!!!!

    ResponderExcluir

Obrigado pelas palavras.